CRÔNICA > Noventa e seis anos de Brilhante Caminhada

Todos que o céu manda para povoar a terra trazem a incumbência de realizar importante missão, visando propalar a harmonia entre os que angustiados digladiam-se movidos pela ambição de possauir cada vez mais, mesmo que, para alcançar tal objetivo, tenha que tingir de sangue o caminho da inglória empreitada.

No dia 12 de novembro de 1921, no povoado de Caiçarinha, da modesta vila de Quixadá, chegava do céu, para o lar de Francisco Segundo da Costa e Maria Cavalcante Costa, uma criança, com toda a pureza de um anjo. Pela inspiração do Espírito Santo, recebeu na pia batismal o nome de Rosicler, que significa mina de prata, colar de ouro e pedrarias.

Celebrando, festivamente, noventa e seis anos de existência de Rosicler podemos aquilatar que a sua missão na terra foi muito bem retratada no seu nome. Teve o privilégio de viver uma infância feliz, num lar modesto ornamentado pela riqueza de uma família unida.

Naquele santuário de paz, sob a benção de Deus, Rosicler moldou todas as suas virtudes. Aprendeu que, na caminhada com bons propósitos, há pedras a ferir os pés dos missionários, mas nunca a lança da maldade será capaz de impedir que um coração, a serviço do amor, deixe de pulsar antes de atingir o fim da honrosa jornada.

Na juventude palmilhou o caminho da decência, sempre com fé na presença do protetor celestial. Foi por essa estrada que encontrou Antônio Benjamim Oliveira com quem constituiu um lar e tornou-se o Cireneu que ajudou Rosicler carregar o pesado madeiro nos íngremes caminhos da árdua jornada.

O colar de ouro e de pedrarias representativo de seu nome tornou-se realidade na concretização de seu casamento. Da abençoada união conjugal quatorze pepitas de ouro foram garimpadas daquele ninho do amor. O novo e rico colar constituído pelo casal, Rosicler não fez, por vaidade, reluzir no colo, escondeu, humildemente, no âmago de seu coração, para dar início ao ponto primordial de sua bela missão.

Aos noventa e seis anos de idade, sinta-se motivada e rejuvenescida, pois a juventude está na alegria de viver, que é o invólucro bendito que protege o coração de quem ama.

Neste momento “Unqéia” não se veja reverenciada somente pelos que se fazem presente a este momento festivo. Sinta-se, também acompanhada pelo seu esposo, filhos, pais, irmãos, parentes e amigos que foram chamados ao jardim Divino.

Todos, espiritualmente, estão felizes como nós. Papai e Mamãe alegram-se, pois a consideram um troféu conquistado nas grandes batalhas que venceram para mantê-la no caminho que nos conduz de volta à presença do Criador.

Nossos irmãos, que Deus já chamou para o reino dos justos, também participam deste momento, sorridentes vendo-a feliz comemorando noventa e seis anos da gloriosa jornada, Seus amigos, igualmente, estão eufóricos por terem seguido seus passos nessa cruzada de fé e paz.

Seus filhos Delne e Célio foram pedras preciosas de seu colar que Deus dela precisou, transformando-as em estrelas para servirem de guia aos que desejassem chegar à presença do Deus Menino. Neste momento, elas cintilam mais do que as outras, por privilégio que o céu lhes concedeu, para festejar o seu aniversário natalício.

A presença de todos esses em sua lembrança não deve ser recebida como amarga recordação. Chamados para outra missão é porque eles mereceram de Deus a confiança para novamente tornarem-se semeadores da paz na terra, apagando o fogo destruidor das guerras fratricidas.

Benjamim, companheiro de tão gloriosa jornada, sentir-se-á orgulhoso de você, porque as pérolas que, ao seu lado, burilou, resplandecem iluminando caminhos para os que desejarem viver na sublime missão de propagar as mensagens de Jesus.

Cercada pelas belas joias, garimpadas na fértil mina de seu coração, representadas por seus filhos, viva a felicidade deste momento com toda a intensidade de seu brilho. Regando as flores de seu jardim os espinhos perfuraram suas mãos. Nenhum deles, porém, retirou o perfume que as rosas exalam para aromatizar o colar de pérolas, custodiado em seu coração.

Unquéia você mereceu a misericórdia Divina que não se consegue com a falsa moeda dos bens matérias. Ela é fruto das boas ações que nos proporciona paz interior tão serena e pura como as águas caídas do céu.

De que valeria chegar aos noventa e seis anos sem ter percorrido, com dignidade, o caminho traçado pelo Pai Celestial? Por isso, minha irmã, fique tranquila, porque você está cumprindo, com humildade e resignação, os desígnios de Deus.

A família é a embarcação que veleja serena por mais revolto que esteja o oceano agitado pela infelicidade dos que não têm no lar o sacrário da união e do amor. Mesmo quando o barco em que navegava, conduzindo seu colar de pedrarias preciosas, perdeu o comandante mor, você com coragem e denodo assumiu o leme e o conduziu às calmarias da ilha do amor.

Parabéns Rosicler vitoriosa timoneira que comemora noventa e seis anos de lutas e vitórias consagradoras, protegendo as belas e singelas pedrarias de seu colar, por mais impérvios que tenham sido os caminhos percorridos.

Querida irmã, receba o carinhoso abraço e esta mensagem de seus pais e de seus irmãos. A emoção não nos permite expressar a alegria que experimentamos neste momento e o valor que você representa para todos nós.

Sugestões de Reportagens: 88 9686 6694 Tim – 88 8849 5444 OI – 88 2147 0720 Fixo. Inclua o Sertão Alerta entre os seus links favoritos. VC Repórter no WhatsApp 88 9 9686 6694. sertãoalerta.com@gmail.com

SANTA CLOTILDE

CLEUMIO PINTO RADIALISTA DRT/CE 5687 - MATRICULA 7723

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *